Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog da Catraia

que, na realidade, agora são duas... Uma Catraia minhota de coração, lisboeta por obrigação, juntou-se à primeira, nortenha de berço e coração para, juntas - YUPI! - partilharem um blog:)

Blog da Catraia

que, na realidade, agora são duas... Uma Catraia minhota de coração, lisboeta por obrigação, juntou-se à primeira, nortenha de berço e coração para, juntas - YUPI! - partilharem um blog:)

E se é desta que enfrentamos os "monstrengos" e ganhamos mesmo?

Depois do jogo de ontem vieram-me à memória palavras que escrevi aquando do Euro 2004 em dois artigos de opinião num Jornal Regional e que voltam a fazer sentido hoje. 

É verdade que em 2004 era tudo diferente. A magia das bandeiras que se agigantavam contra o vento já não é mesma. Os "exércitos" portugueses, feitos um pouco de todos nós, pareceram este ano mais moribundos. Não se respirou Portugal da mesma forma. Este ano parecia tudo mais difícil, mais sofrido.

Mas ontem, mais uma vez, e aconteça o que acontecer, estes jogadores provaram que ainda vale a pena acreditar, vale a pena tentar, vale a pena correr e suar, vale a pena cair para nos levantarmos mais fortes.

Mas, então e agora?

Agora "a nova batalha começa a desenhar-se no horizonte com contornos muito mais nítidos. O restinho daquela chama que nos incendiou (em 2004 como em mais nenhuma outra competição) parece acordar. Afinal, sabemos que ainda “estamos todos convocados”."

E, "embora o campo de batalha já não seja o nosso, o êxito da Selecção ainda passa por nós. Porque agora sabemos que o que ficou das bandeiras é muito mais do que aquilo que (já não) se vê - foi a união, o desejar, o acreditar e o fazer cumprir."  

Resta-nos no Domingo cumprir a profecia de Fernando Pessoa, na Mensagem, "E a nossa grande Raça partirá em busca de uma Índia nova, que não existe no espaço, em naus que são construídas daquilo que os sonhos são feitos. E o seu verdadeiro e supremo destino (…) realizar-se-á divinamente.”

E, tal como em 2004,  "patriotas à espera de D. Sebastião num dia de nevoeiro, ou apenas apreciadores de futebol, chegou a hora. Valete Frates!"

 

 

E depois de tudo, não podia deixar de ser esta a música, não é? :)

 

a Catraia nortenha

Em dias de chuva, quase que já se sonha com o Natal!

É incrível a nossa capacidade de associação... mal começam estes dias de chuva seguidos, aliados à mudança da hora (que, devo dizer, não percebo, não concordo, e acho até que contribui para a nossa "depressão social" generalizada), que começamos a pensar na quadra natalícia. De alguma forma, tudo o que o Natal traz... as luzes, os cânticos, as bebidas quentes ao pé da lareira, tudo ajuda a que nos sintamos mais "quentes" e mais aconchegados.

Ora, um dos pontos altos desta época são os Mercados de Natal. E, embora estejamos agora a dar mais atenção a estas tradições cá em Portugal, a verdade é que ainda há sítios por esta Europa fora que nos fazem verdadeiramente sonhar.

Este ano o site European Best Destinations promoveu uma votação através das redes sociais para escolher os 15 melhores Mercados de Natal da Europa. Vale a pena espreitar e sonhar!

 

Deixo-vos o primeiro lugar... Estrasburgo.

 

 

É o Mercado de Natal mais antigo da Europa e onde tudo começou em 1570. Incrível, não é?