Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog da Catraia

que, na realidade, agora são duas... Uma Catraia minhota de coração, lisboeta por obrigação, juntou-se à primeira, nortenha de berço e coração para, juntas - YUPI! - partilharem um blog:)

Blog da Catraia

que, na realidade, agora são duas... Uma Catraia minhota de coração, lisboeta por obrigação, juntou-se à primeira, nortenha de berço e coração para, juntas - YUPI! - partilharem um blog:)

Um fim de semana em Marselha

Neste blog escreve-se um pouco sobre tudo, mas as nossas coisas favoritas, como já devem ter percebido, são mesmo viajar e comer bem! Ora, recentemente tive oportunidade de passar um fim de semana num sítio que, à partida, não seria a minha primeira escolha - Marselha - mas que acabou por surpreender e cativar pela paisagem e simpatia das pessoas.

Marselha é a segunda mais populosa cidade de França e a mais antiga cidade francesa. Fica localizada na antiga província da Provença e na costa do Mediterrâneo, tendo o maior porto comercial do país. É considerada a cidade das artes e história, talvez por isso tenha sido eleita Capital Europeia da Cultura em 2013. 

Tal como já perceberam, não estava com grandes expectativas. As pessoas que conheço que tinham estado em Marselha antes da Capital Europeia da Cultura não tinham gostado nada, mas depois do que vi, claramente as coisas mudaram muito.

Mais do que partilhar o roteiro deste fim de semana, quero partilhar convosco o que considero ser o "Guia Essencial da Catraia para 2 dias em Marselha"!

 

Como chegar a Marselha?

A opção mais simples do Porto é apanhar um voo da Ryanair directo. Ao chegar ao terminal do Aeroporto de Marselha há um serviço de autocarros que funciona como shuttle directo para a Estação "Saint Charles". Saem de 15 em 15 minutos e demoram 25 minutos de viagem.

Nota: cuidado ao programar os horários, porque o trânsito para chegar a Marselha é complicado e a fila para o autocarro pode ser longa.

 

Onde ficar alojado?

Como éramos três resolvemos marcar um apartamento no Airbnb que ficasse numa zona central, mas sossegada (objectivo perfeitamente cumprido).

Nota: Ao reservar estadia atenção ao "distrito", porque nos indicaram que a zona atrás do Porto é complicada à noite.

 

O que ver em dois dias?

Marselha é uma cidade capaz de se ver totalmente a pé, apesar de não ser nada plana, e perfeitamente possível de se visitar em 2 dias. O que não podem mesmo perder é:

  • Vieux Port
    Área circundante ao Porto de Marselha. É o ponto focal da cidade por isso não há forma de passar despercebido. 
  • Abbaye St Victor
    O largo em frente a esta catedral antiga tem uma vista incrível sobre o Porto. Aqui, aconselho a parar, relaxar, e beber um copo no bar ao lado. Ao final do dia é claramente ponto de paragem dos locais.
  • Musée des Civilisations de l'Europe et de la Méditerranée (MuCEM) 
    Foi construído para a Capital Europeia da Cultura. Caso não tenham tempo para ver as exposições, entrem e passeiem pelo exterior do museu que dá também acesso ao antigo Fort St Jean.
  • Le Panier
    É a zona histórica mais antiga de Marselha, com um espírito claramente boémio e artístico. Aqui, apreciar as ruas pequenas, os graffitis nas paredes, e não perder a La Vieille Charité (um edifício impressionante do século XVII onde agora estão sediados dois museus e a capela Pierre Puget’s.
  • Cathédrale de la Major
    Esta Catedral, acima da zona do Porto, construída em 1852 e 1893 foi o maior edifício eclesiástico construído no século XIX, com um comprimento de 141 metros. Vale a pena entrar para ver.
  • Notre-Dame de la Garde
    Esta basílica é o ponto mais alto da cidade. Vale a pena subir para se ter uma vista de 360º sobre Marselha.
  • Palais Longchamp
    O Palais Longchamp é um monumento lindíssimo que abriga hoje o Museu de Belas Artes. À volta, os jardins (Parc Longchamp) foram considerados pelo Ministério da Cultura Francês como um dos mais notáveis jardins de França. 
  • Château d'If e Iles du Frioul
    O Arquipélago Frioul é composto por quatro ilhas muito próximas ao Porto Velho de Marselha, chamadas de Ratonneau, Pomègues, If e Tiboulen. As duas primeiras são conectadas por uma ponte e possuem alguns calanques de água transparente, onde se pode mergulhar no Verão. O acesso é feito de barco com saída do Vieux Port. Na ilha de If fica o ao Château d'If, o castelo imortalizado pelo romance O Conde de Monte Cristo, de Alexandre Dumas, que pode ser visitado. Há várias barcos a sair diariamente do Vieux Port. 

Caso ainda tenham tempo de encaixar na agenda e no orçamento, aconselho vivamente uma tour aos Calanques. Os Calanques são uma espectacular área, ao longo de 20 quilómetros da costa mediterrânea, de estruturas escavadas em despenhadeiros de calcário que se debruçam sobre o mar. Foram declarados oficialmente parque nacional em 18 de agosto de 2012 e são uma área natural protegida.

Nós optamos por fazer esta tour de barco, para não ser tão agressiva fisicamente (os Calanques podem ser visitados a pé) e por acharmos que seria uma experiência diferente. Adoramos! A agência que escolhemos foi a Turquoise Calanques e optamos pelo passeio em grupo, de 4 horas, com paragem para mergulhos. Esta tour funciona no mínimo com 5 pessoas, mas nós tivemos ainda mais sorte porque as pessoas que iam connosco cancelaram e acabamos por ter o barco só para nós!

 

Calanques - Marselha

 

Calanques - Marselha

copyright Ana Pinho

 

Como ainda tivemos tempo, conseguimos dar um saltinho à praia - Anse des Catalans, e aproveitar mais um pouco do fantástico sol de Marselha e das águas límpidas azul turquesa que a rodeiam.

 

Espero que este Guia vos seja útil e resta-me desejar-vos uma óptima viagem! :)

 

a Catraia nortenha 

1 comentário

Comentar post