Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blog da Catraia

que, na realidade, agora são duas... Uma Catraia minhota de coração, lisboeta por obrigação, juntou-se à primeira, nortenha de berço e coração para, juntas - YUPI! - partilharem um blog:)

Blog da Catraia

que, na realidade, agora são duas... Uma Catraia minhota de coração, lisboeta por obrigação, juntou-se à primeira, nortenha de berço e coração para, juntas - YUPI! - partilharem um blog:)

Porque hoje também é dia das Catraias!

Hoje é dia da mulher, mas também é dia das catraias, das meninas, das meninas-mulher e de todas as feminidades que nos tornam tão únicas. 

Infelizmente, como em muitos outros casos, este dia foi declarado no seguimento de um acontecimento trágico. 

 

 

No Dia 8 de Março de 1857 morreram aproximadamente 130 mulheres carbonizadas num incêndio depois de terem invadido a fábrica de tecelagem em Nova York onde trabalhavam no seguimento de uma greve para reivindicar uma redução de horário de trabalho, de 16 horas por dia para 10 horas. Em 1903, profissionais liberais norte-americanas criaram a Women's Trade Union League, uma associação com o principal objectivo de ajudar todas as trabalhadoras a exigirem melhores condições de trabalho. Em 1908, mais de 14 mil mulheres marcharam nas ruas de Nova Iorque: reivindicaram o mesmo que as operárias no ano de 1857, bem como o direito de voto. Caminhavam com o slogan "Pão e Rosas", em que o pão simbolizava a estabilidade económica e as rosas uma melhor qualidade de vida. Em homenagem a estas mulheres, em 1910, declarou-se o dia 8 de Março como o “Dia Internacional da Mulher”.

Na verdade é um dia como os outros. É um dia em que acordamos com o peso de sermos mulheres, de nos arranjarmos mesmo quando não nos apetece, de sermos aquilo que esperam de nós em casa e no trabalho, de sabermos cozinhar, lavar, limpar, costurar, falar, de sabermos o que queremos e quando queremos, de sabermos educar os filhos, de querermos filhos, e de sobrevivermos sempre ao peso do mundo.

Não será sempre assim, as realidades têm vindo a mudar, e não será assim com todas as mulheres, mas de alguma forma ainda é, ainda vai sendo. 

E como todos os dias são bons para nos lembrarmos de nós mesmas e das que nos antecederam e nos trouxeram até aqui, aqui fica a homenagem às catraias desta vida!