Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog da Catraia

que, na realidade, agora são duas... Uma Catraia minhota de coração, lisboeta por obrigação, juntou-se à primeira, nortenha de berço e coração para, juntas - YUPI! - partilharem um blog:)

Blog da Catraia

que, na realidade, agora são duas... Uma Catraia minhota de coração, lisboeta por obrigação, juntou-se à primeira, nortenha de berço e coração para, juntas - YUPI! - partilharem um blog:)

Frida, vale a pena voltar (sempre!)

Este é daqueles posts que já podia ter sido escrito antes. Não descobri o Frida - Cocina Mestiza agora, a descoberta ja foi feita aquando da abertura daquele que considero o melhor restaurante mexicano do Porto. Mas foi agora que escolhi o Frida para uma noite muito especial, o festejo dos meus 30 anos.

Escolhi o Frida porque é daqueles sítios que nos marcam. A decoração é original e envolvente, cheia de pormenores deliciosos como a parede com os recortes de jornais (alguns aparentemente emoldurados), os retratos da Frida que parecem abençoar o que, ali, tão bem se come e bebe, e o ambiente à média luz que acolhe as cadeiras e sofás super confortáveis. Mas, mais do que um espaço delicioso, é a simpatia e doçura com que somos recebidos, e isso, não se vê, sente-se.

Quando contactei o Frida imaginei que poderia não ser fácil o desafio de montar naquele espaço maravilhoso uma mesa para 20 pessoas e conseguir servi-las ao mesmo tempo desde as entradas, o prato principal e a sobremesa. Mas a simpatia com que responderam imediatamente que sim e a disponibilidade com que foram trocando mensagens comigo para acertar os pormenores da ementa deixaram-me, muitas vezes confesso, surpreendida. Não é muito usual encontrar pessoas e serviço deste nível, acreditem que bem o sei!

No dia, a sala estava irrepreensível e o serviço foi, mais uma vez, a constatação de que o Frida é para repetir e voltar e voltar e voltar

A ementa que escolhemos procurou ser consensual e agradar a várias idades: para começar uns totopos acompanhados com uma deliciosa salsa de pico de gallo e guacamole, depois, para não arrefecer, um queso fundido con chorizo picante que estava divinal! O prato principal foi uma escolha fácil - tacos en la piedra, para que todos pudéssemos conviver, "cozinhar" e "criar". Confesso que foi muito divertido! E para sobremesa? Para sobremesa eu tinha pedido um desafio ao Frida - uma carlota de lima em formato gigante para servir como bolo de aniversário. E, como sempre, foi com toda a amabilidade que me presentearam com uma carlota de lima em forma de bolo, decorada a preceito e pronta para cantar os Parabéns!

Claro que todos tivémos direito a provar as maravilhosas Margaritas (tradicionais, de maracujá, de amora e até sem alcóol para os mais pequenos que não podem e os mais graúdos que não apreciam), que recomendo vivamente!

Tenho pena de não ter tirado muitas fotografias, mas o convívio estava animado!

frida.jpg

E mais! O meu dia de anos no México é um dia de celebração - o Dia de los Muertos - é uma celebração de origem indígena que honra os defuntos no dia 2 de novembro. Aliás, a UNESCO declarou-a como Património da Humanidade. E foi de uma doçura incrível o miminho que todas as convidadas receberam no final do jantar - uma caveira de açúcar com as decorações típicas do México! Haveria melhor forma de terminar um jantar tão incrível? Talvez com mais uma sobremesa, quem sabe... :)

Obrigada Frida por uma comemoração de 30 anos inesquecível!

 

2 comentários

Comentar post