Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blog da Catraia

que, na realidade, agora são duas... Uma Catraia minhota de coração, lisboeta por obrigação, juntou-se à primeira, nortenha de berço e coração para, juntas - YUPI! - partilharem um blog:)

Blog da Catraia

que, na realidade, agora são duas... Uma Catraia minhota de coração, lisboeta por obrigação, juntou-se à primeira, nortenha de berço e coração para, juntas - YUPI! - partilharem um blog:)

Belos Aires, um amor que nos fez apaixonar pela comida

Tudo começou com uma dica de uma amiga para ir experimentar o novo restaurante Belos Aires, na Rua de Belomonte, no Porto. A promessa foi de um espaço com um ambiente super familiar, acolhedor e uma comida que me transportaria para o melhor que a Argentina e Portugal têm para oferecer, ou não fossem os anfitriões deste espaço do Porto e da Argentina, e apaixonados, já que tudo começou numa história de amor.

Liguei para reservar, pelo sim pelo não, até porque jantar num sábado à noite em plena época de Natal na baixa do Porto tem que se lhe diga... E deixem-me dizer que o meu encanto pelo restaurante começou aqui. Sim, no telefonema. Quem me atendeu o telefone foi o chef, Maurício Ghiglione, e com uma simpatia que hoje em dia já não é muito vulgar. Perguntou-me se era a primeira vez que lá íamos, se somos do Porto, disse-me quais as mesas que tinha disponíveis e a localização, e qual a melhor hora para chegar e não ter que estar à espera. Foi de uma simpatia verdadeiramente acolhedora e cativante.

No sábado éramos três a jantar. Chegamos ao espaço e fomos recebidos com sorrisos abertos, aqueles que são meio felicidade e meio orgulho por estar ali, e até o chef nos cumprimentou à entrada da sua cozinha aberta de quem quer mostrar o que tão bem ali se faz. 

O ambiente é simples e acolhedor, com pormenores de quem pensou no conforto de quem chega. As mesas de dois têm uma prateleira estrategicamente posicionada para se colocar as bebidas e libertar espaço na mesa, a mesa no jardim interior tem mantinhas para aconchegar os mais corajosos que querem jantar lá fora nesta altura, e a decoração é caseira, com prateleiras cheias de livros de cozinha, um louceiro antigo de cozinha à entrada, e um banquinho delicioso na casa de banho. 

E a comida? A comida é incrível!

 

Belos Aires, Porto

 

Como éramos três, decidimos pedir de entradas as três Empanadas Argentinas (Criolla, Caprese e Espinafres, Requeijão e Nozes) para provar (a massa é óptima e os recheios são muito bons, especialmente a Caprese, com um toquezinho picante) e os Crocantes de Alheira com chutney de marmelo. Entradas aprovadas! 

Para pratos principais, escolhemos cada um o seu corte de carne: Colita de Cuadril, Ojo de Bife, e Bife de Chorizo, magnificamente cozinhadas, tenras e no ponto certo, acompanhadas por uma óptima salada super fresca e bem temperada (o que normalmente é muito desvalorizado, mas que faz toda a diferença) e uma polenta que estava magnífica!

E claro, a esta altura já rebolávamos, mas não podíamos sair sem experimentar as sobremesas. Ora, como éramos três (a conta que Deus fez, como o ditado manda) pedimos três sobremesas: Panqueques de Dulce de Leche, Cremoso de Chocolate e uma sobremesa que por esquecimento não apontei o nome, mas que era deliciosa (claro que era a minha...)!

 

No final, saímos com a certeza de qualquer dia voltar para provar as outras especialidades e para mais um serão à volta da comida num sítio que nos faz apaixonar. Obrigada Belos Aires e parabéns!