Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blog da Catraia

que, na realidade, agora são duas... Uma Catraia minhota de coração, lisboeta por obrigação, juntou-se à primeira, nortenha de berço e coração para, juntas - YUPI! - partilharem um blog:)

Blog da Catraia

que, na realidade, agora são duas... Uma Catraia minhota de coração, lisboeta por obrigação, juntou-se à primeira, nortenha de berço e coração para, juntas - YUPI! - partilharem um blog:)

A melhor sandes/sande/sandwich no Porto?

Há dias em que nos apetece sair de casa para comer algo diferente, mais leve, no pão, mas que não nos transporte para o campo da “fast food”, com tudo o que normalmente se associa de pejorativo a este conceito. E é nesses dias e, confesso, em muitos outros, que a Sandeira no Porto é a minha primeira opção!

Ainda não tinha falado dela, mas sou cliente habitual, e para quem gosta de sandes/sande/sandwiches (relembrando a Mixórdia de Temáticas do Ricardo Araújo Pereira sobre o tema…), seja qual for o nome que atribuam a duas metades de pão recheadas, não há sítio melhor! 

 

Sandeira

 

 

A Sandeira começou na Rua dos Caldeireiros, num espaço cuja arquitectura e decoração marca a forma como se disfruta dele. É uma sala pequena, com o chão em paralelos dando a impressão de que ainda estamos na rua, as paredes são cobertas com velhas portas de madeira (lixadas e envernizadas) que tornam o espaço único e acolhedor, e as mesas estão à nossa espera sem pretensiosismos, convidando-nos a entrar. Na casa de banho, uma parede preta e um pedaço de giz incentiva às mensagens dos clientes.

Desde há um ano, podem-se também experimentar as delícias da Sandeira na Galerias Lumiére, outro espaço marcante no Porto, que abriu restaurado há mais de um ano e que é uma óptima opção para quem não consegue mesa no primeiro ou quer fazer uma pausa menos demorada.

Na ementa, encontramos sempre a sopa do dia, a fazer lembrar as sopas dos nossos avós, limonadas e sandes ou saladas com nomes inspirados no Porto. Nas sandes, pode-se provar uma Douro, Vitória, S. Bento, e as nossas preferidas lá de casa: Clérigos (na imagem, com tomate, queijo feta, manjericão e pasta de azeitonas) e D. Luís (na imagem, maravilhosa, com presunto, queijo brie e tâmaras). Para acompanhar, as batatas fritas à Sandeira (com casca) são obrigatórias!

Sandeira

Uma das coisas que mais valorizo na Sandeira é que mantém os seus princípios iniciais, mesmo depois do sucesso e da abertura de um segundo espaço. Os ingredientes utilizados são adquiridos a fornecedores locais, como é exemplo disso o pão ‘chapata’ da Padaria Ribeiro que serve de base para as sandes. E posso garantir que a qualidade se mantém desde o primeiro dia. 

Obrigada por se manterem assim, autênticos!